top of page
  • Fabiola Sena

Entendendo “Lastro e Energia” (antes da Modernização!)

Atualizado: 5 de abr. de 2022


No Mercado de Curto Prazo, a CCEE verifica mensalmente o balanço de recursos e requisitos de cada agente. Para um consumidor, por exemplo, o requisito é seu consumo, enquanto os recursos são seus contratos de compra. Já para um gerador, os requisitos são seus contratos de venda e seus recursos são as garantias físicas associadas aos seus ativos de geração (e seus eventuais contratos de compra).


Se, em um determinado mês, o recurso é superior ao requisito, acontece uma exposição positiva no Mercado de Curto Prazo – e essa sobra de recurso será liquidada ao Preço de Liquidação de Diferenças. Caso o recurso seja inferior ao requisito, acontece uma exposição negativa no Mercado de Curto Prazo – e essa falta de recurso será liquidada no Mercado de Curto Prazo ao Preço de Liquidação de Diferenças.


O resultado no Mercado de Curto Prazo de um agente é uma foto do balanço entre seus recursos e requisitos de um mês específico. Para chegar ao resultado do mês, os cálculos de “sobras e faltas” são feitos em base horária e as diferenças entre recursos e requisitos são valoradas ao Preço de Liquidação de Diferenças de cada hora e liquidadas mensalmente.


Esse procedimento é chamado de Balanço Energético Mensal.


Agora vamos falar sobre a “regra de ouro da comercialização”, que está disposta no artigo 2º do Decreto 5.163:


  • Agentes vendedores deverão apresentar lastro para a venda de energia de modo a garantir 100% de seus contratos através da garantia física proporcionada por empreendimento de geração própria ou de terceiros, neste caso, mediante contratos de compra de energia;

  • Agentes de distribuição deverão garantir o atendimento a 100% de seus mercados de energia por intermédio de contratos; e

  • Consumidores não supridos integralmente em condições reguladas deverão garantir o atendimento a 100% de suas cargas, em termos de energia, por intermédio de geração própria ou de contratos.


Como é feita essa apuração? Para agentes de distribuição, a apuração é feita uma vez ao ano, em janeiro, considerando o ano anterior. Para os demais agentes, essa apuração é feita mensalmente, verificando os últimos 12 meses (num processo chamado de média móvel).


Esse procedimento é chamado de Balanço de Lastro.


Sendo assim, se o somatório dos recursos dos últimos 12 meses for inferior ao somatório dos requisitos, o agente está sujeito à penalidade por insuficiência de lastro.


A penalidade é calculada com base no volume identificado como insuficiência de lastro, dividido por 12, multiplicado pelo Preço de Referência para Penalização – que por sua vez é o maior valor entre a média do PLD do período e o Valor de Referência.


Valor de Referência é calculado pela Aneel anualmente, e corresponde a uma média ponderada dos leilões de energia nova com início de suprimento no ano de referência. O Valor de Referência para 2021 é 177,86 R$/MWh (Despacho ANEEL 231/2019).


O valor arrecadado como penalidade é destinado aos consumidores, visando abater exposições negativas dos CCEARs (Contratos de Comercialização de Energia Elétrica no Ambiente Regulado) decorrentes da diferença de preços entre submercados.



1.352 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page